VACINAÇÃO

O QUE ACONTECE QUANDO HÁ ATRASO NA SEGUNDA DOSE DA VACINA?

Por Marco Aurélio Vasques

07/05/2021 09h37
Por: REDAÇÃO

A maioria das vacinas contra a Covid-19 necessitam de duas doses para conferir uma taxa de proteção aceitável. Esses esquemas vacinais foram avaliados e definidos nos estudos clínicos das vacinas, que serviram para determinar sua segurança e eficácia.

Quais os riscos que as pessoas estão sujeitas ao não completar a segunda dose da vacinação?

A dra. Cheryl Healton (Reitora da Escola de Saúde Pública Global da Universidade de Nova York) afirma que os testes de algumas vacinas realizados nos EUA registraram cerca de 25% menos de eficácia para quem tomar apenas uma dose da vacina.

O gerente-geral da Gerência Geral de Medicamentos e Produtos Biológicos da ANVISA, Gustavo Mendes, explica que “muitas vezes uma dose só não é suficiente para atingir aquele mínimo de anticorpos necessários para neutralizar o vírus, então, por isso, precisa de uma dose de reforço, que ajuda a se atingir esse grau de anticorpos necessários”.

É preciso lembrar que as duas vacinas mais usadas no Brasil até agora são aplicadas em duas doses, mas com prazos distintos, sendo a Coronavac com retorno de 14 a 28 dias, enquanto a AZD1222 (AstraZeneca) tem intervalo maior, três meses. Logo, se alguém tomar apenas a primeira dose, não estará devidamente protegido, como explica a médica e vice-presidente da Sociedade Brasileira de Imunizações, Isabella Ballalai.

Ainda é incerto sobre como fica a situação de quem não completou as duas doses. Essas pessoas precisam recomeçar o esquema vacinal do zero ou podem tomar a segunda dose a qualquer momento?

Para quem tomou a vacina da AstraZeneca, o atraso é menos angustiante, pois até 90 dias após a primeira dose está dentro da normalidade. Já em relação a vacina Coronavac, o diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, disse que, mesmo que a pessoa tome a segunda dose 15 dias, 20 dias ou um mês após a data prevista, não há interferência no esquema vacinal, não sendo possível precisar o que ocorre com um atraso maior.

Vários especialistas informam que isso é variável conforme o tempo de atraso. Mas sim, há a possibilidade de anular a dose já tomada e assim, a vacinação ter que ser reiniciada, porém ressaltam que mesmo que a primeira dose já dê um pouco de proteção, essa taxa não está dentro dos parâmetros estabelecidos pelos especialistas e pelas instituições sanitárias, portanto o maior cuidado é não diminuir as medidas de prevenção (distanciamentos social, uso de máscaras e álcool70%).