POLÍCIA

EX PREFEITA MARIA SIMÕES PEDE AUDIÊNCIA COM DELEGADO DE POLÍCIA FEDERAL EM JI-PARANÁ SOBRE CASINHAS POPULARES

Maria Simões não tem dúvida de que Fúria quer cancelar o sorteio, mas não admite porque não é uma pessoa sincera

21/05/2021 19h15Atualizado há 4 semanas
Por: REDAÇÃO
Ex prefeita Maria Simões, Dr. Lúcio Lacerda e Ex Secretário Elias Moises.
Ex prefeita Maria Simões, Dr. Lúcio Lacerda e Ex Secretário Elias Moises.

A Ex Prefeita Maria Simões pediu uma audiência com o Delegado de Polícia Federal, Dr. Adolfo Barbalho, para levar a autoridade policial, esclarecimentos sobre o sorteio das casinhas populares do Minha Casa Minha Vida, denunciado pela atual Secretária de Ação Social Michelle Pavani.

Acompanharam a ex alcaide o advogado Lúcio Lacerda, defensor de parte das pessoas sorteadas em 22 de dezembro de 2020, e Elias Moisés, Secretário da Ação Social à época do início das inscrições para o Programa Habitacional Minha Casa Minha Vida e da realização do sorteio.

No encontro foram fornecidas diversas informações que a autoridade policial não conhecia, bem como fornecidos novos documentos e elementos informativos para auxiliar o delegado em sua decisão de instaurar ou não um inquérito policial, já que nenhum procedimento investigatório foi formalmente instaurado, mas o computador foi entregue a delegacia mediante noticia crime de autoria de Michelle Pavani.

Tanto Maria Simões quanto Elias Moisés saíram da reunião confiantes de que a verdade será restabelecida e o direito dos sorteados restaurado, mesmo com todos os esforços do prefeito em cancelar o sorteio.

Para o advogado Lúcio Lacerda o próximo passo é municiar a autoridade policial como todos os elementos de convicção que foram omitidos pela atual Secretária Michelle Pavani,  fornecendo ao Dr. Adolfo, o vídeo do sorteio, todos os pronunciamentos da secretária e do prefeito a respeito do assunto, o vídeo da conferencia com o MDR, lives de vereadores, pronunciamentos da Câmara, e todas as matérias jornalísticas e documentos disponíveis sobre o desenvolvimento do programa habitacional, desde seu início, até o sorteio, para que a Polícia Federal conheça o contexto.

Para o causídico, essa será mais uma tentativa frustrada de o prefeito cancelar o sorteio.

Realizado na gestão de Maria Simões, contra a vontade do então prefeito eleito Adailton Fúria, o sorteio das casinhas, tem sido objeto de diversas impugnações através da atual gestão do município.

O Prefeito Adailton Fúria chegou a realizar uma live, onde junto com sua Secretária de Ação Social, em cuja pasta tramita o processo de seleção de beneficiados para as unidades habitacional Cidade Verde, afirmou que o sorteio era inexistente, e que, portanto, não iria reconhecer a validade do mesmo.

Pressionado pela Câmara de Vereadores a pedir ao MDR reconsideração quanto a continuidade da tramitação do processo de seleção dos beneficiários, o prefeito chegou a produzir um documento atendendo ao pleito de 11 dos 12 vereadores, mas segundo o Vereador Paulo Henrique, o prefeito não enviou o documento ao MDR,  o que mantém o sorteio em suspenso, enquanto o alcaide tenta cancelar o sorteio pela via policial.