SOCIAL

A FALTA DE EMPATIA DA ATUAL SECRETARIA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL DE CACOAL

SEIS MESES DE GESTÃO MARCADOS POR AUTORITARISMOS E INCIDENTES POLICIAIS

06/06/2021 16h52Atualizado há 3 meses
Por: REDAÇÃO

Lúcio Lacerda

A atual Secretária de Assistência Social de Cacoal, Michelle Pavani, iniciou sua gestão da SEMAST no início do governo do Prefeito Adailton Fúria, e já protagonizou diversos incidentes policiais que parecem ter motivação exclusivamente política.

No final do ano passado a gestão anterior do município realizou um sorteio de beneficiados para o Programa Habitacional Minha Casa Minha vida, que deveria ter sequência na atual administração desde seu início.

Gerido no âmbito local através da pasta sob a responsabilidade de Michelle Pavani, o programa habitacional foi paralisado por iniciativa da secretária, que em vez de dar seguimento às demais etapas do processo, oficiou o Ministério do Desenvolvimento Regional, colocando em dúvida a legalidade do processo.

A Secretária chegou a realizar uma live com o Prefeito em que afirmava taxativamente, junto com o Alcaide, que o sorteio não era válido porque não teria existido.

Após o evento, Michelle Pavani invadiu com o serviço de um chaveiro, a sala da Casa dos Conselhos de Cacoal, que não é subordinada a prefeitura, a fim de recuperar um computador que estava sob a responsabilidade do presidente dos conselhos, José Carlos, na qualidade de fiel depositário.

Não obtendo sucesso em localizar o referido computador, a Secretária Foi a Polícia Civil e fez uma denúncia de apropriação indébita do computador, noticia crime que se verificou falsa posteriormente, pois constatou-se que o computador estava sob a guarda e responsabilidade do servidor que  o detinha a época.

A Secretária Michelle Pavani já havia invadido no início do ano a Casa de Acolhida da mulher vítima de violência doméstica, e de lá retirado todos os móveis, sem autorização do Conselho da Mulher, órgão responsável pela administração da instituição de amparo as mulheres.

Depois de recuperado o computador mencionado acima,   que foi o mesmo computador usado para realização do sorteio de beneficiários do Programa Minha Casa Minha Vida, a Secretária de Ação Social foi a delegacia de Policia Federal de Ji Paraná e fez uma comunicação de crime e requereu a instauração de inquérito e perícia do notebook usado no sorteio.

O Delegado Federal, Dr. Barbalho, responsável pelo caso, não concluiu ainda se irá ou não instaurar o inquérito. Enquanto isso, o processo habitacional queda-se  paralisado e os interessados vivem na incerteza quanto a aquisição ou não da casa própria através do programa.

Na data de ontem, informada pelo ex vereador Jabá Moreira, de que a ex prefeita Maria Simões estaria desenvolvendo atividade filantrópica em imóvel pertencente ao município, Michelle Pavani mais uma vez se envolve em diligência policial e vai com PMs ao mencionado imóvel, situado no bairro Mutirão, onde filma e bate boca com a ex prefeita que estava realizando melhoramentos no imóvel para realização de distribuição do sopão a população local, atividade a qual Simões se dedica desde os anos 2000.

Como a propriedade do imóvel e a que título está ocupado pela vereadora eram controvertidos, os policiais se limitaram a lavrar a ocorrência e deixaram o local.

Maria Simões informou que o imóvel é ocupado há anos por entidades filantrópicas para realização de ações sociais, tendo inclusive o imóvel, ganhado melhorias através do Pastor Moura da Assembleia de Deus, alguns anos atrás.

Jabá Moreira, que foi o delator da ocupação, disse nas redes sociais que o imóvel estava abandonado há 10 anos, sem qualquer intervenção direta por parte da prefeitura.

Ao que parece, a Secretaria Michele Pavani não se importa que um imóvel esteja abandonado e sem uso pelo município há 10 anos, mas considera criminoso que alguém dê a ele alguma finalidade pública e socialmente útil.

Ela sequer gosta de contato direto com a plebe, tanto é que uma de suas primeiras decisões à frente da SEMAST foi ressuscitar o atendimento popular por agendamento, instituto que havia sido abolido na gestão anterior, com a finalidade de humanizar o atendimento prestado pela secretaria.

Pavani reiteradamente tem demonstrado ser territorial e possessiva em relação a controle sobre coisas e objetos. Depois de ter invadido a Casa de Acolhida, a Casa dos Conselhos, ter reavido o notebook do sorteio por via policial, e ter chamado a PM para a ex prefeita Maria Simões, Michelle recentemente mandou suspender o uso do estacionamento da secretaria e trancafiar seus portões.

Quanto a questão do imóvel que supostamente seria do município, não é possível reaver a posse por meio de polícia sem o competente mandado judicial, e em qualquer caso, será preciso determinar a que título a posse é ali exercida por entidade filantrópicas, e em caso de posse de boa-fé, terá o município de indenizar as benfeitorias ali realizadas.