FISCAL AMIGO

DE PUXADINHO A JAGUNÇAGEM - MESA DIRETORA DA CÂMARA PROTEGE PREFEITO E ACUSA DENUNCIANTE NO CASO DE ASFALTO NA CHÁCARA DO PREFEITO

PICHEK, MAGNISON E FRITZ IMUNIZARAM O PREFEITO E FORAM PRA CIMA DE PH

20/09/2021 14h31Atualizado há 4 semanas
Por: REDAÇÃO

Após as recentes denúncias de depósito de rejeito de asfalto no sítio do prefeito Adailton Fúria, através de caminhões e máquinas públicas, a mesa diretora da Câmara Municipal de Cacoal desconsiderou todas as provas até então apresentadas pelo vereador Dr. Paulo Henrique.

Estre as provas preliminares está  fotografia do material surrupiado dentro do sítio do prefeito, e há também  denúncia feita a Polícia e ao MP, de onde há constatação, colhida através de câmera de vigilância da PM mostrando os respectivos veículos municipais transportando os rejeitos em direção ao sítio do alcaide, onde o rejeito ficou amontoado de fronte a fachada durante pelo menos dois dias.

Na prática, a mesa refutou de pronto a denúncia e começou a culpabilizar o denunciante.

O Vice Presidente da Casa, Magnison Motta, disse que o vereador PH pode ter que pagar por falsa denúncia. O Secretário da mesa, vereador Luiz Fritz  parabenizou o prefeito por pelo menos 8 vezes durante seu discurso, e negou gravidade a denúncia, e o presidente da casa, JP Pichek, agiu como se estivesse diante de uma fofoca e não esboçou qualquer intenção de investigar o ocorrido, deixando isso para as autoridades judiciais, embora seja a Câmara a primeira legitimada a realizar essa investigação. Pichek chegou a dizer que toda população acha que a Câmara de Cacoal é excelente, e que os poucos que a criticam o fazem por ter inveja dos vereadores e do prefeito.

O primeiro secretário Kapiche também se isentou de enfrentar o tema deixando para emitir sua opinião a posteriori.

Internautas revoltados com a conduta dos parlamentares chegaram a dizer que: "isso não é uma câmara fiscalizadora do prefeito, é um escritório de advocacia do Fúria". E outro: "A Câmara de Cacoal, há muito tempo, deixou de ser um PUXADINHO da Prefeitura e passou a agir como JAGUNÇO do prefeito."

Não se sabe se será instaurada uma Comissão Parlamentar de Inquérito para apurar o caso, mas certo é que após o relatório dos inquéritos em andamento a Câmara Passará enorme constrangimento caso a conclusão das investigações apontem ilícito que a casa se recusou a investigar embora sendo função de sua primeira competência.