PASSANDO O PANO

CACOAL: OS VEREADORES, O PUXADINHO E OS JAGUNÇOS...

POR FRANCISCO XAVIER GOMES

20/09/2021 17h07
Por: REDAÇÃO

A Câmara Municipal de Cacoal precisa, com urgência, descobrir quais são suas atribuições. Essa postura de bajular o prefeito e bajular todos os secretários municipais não é compatível com uma Casa de Leis que tenha o mínimo de amor próprio. A maneira de agir de muitos vereadores é vergonhosa, vexatória e lembra muito a personagem “Seo Batista” da “Escolinha do Professor Raimundo”, exibida muitos anos pela TV Globo. O fato de um vereador defender propostas, projetos e ideias de um prefeito não significa que ele seja um bajulador; mas a bajulação infundada não pode ser banalizada como tem sido dentro do legislativo cacoalense. Os membros da Casa de Leis são eleitos pela população e possuem a obrigação de zelar pelo mandato e pela honra dos eleitores e contribuintes da cidade. Esta semana, mais uma vez, o plenário da Casa Obediana foi palco de um festival de baboseiras protagonizadas por vereadores sem nenhum preparo para a vereança e dispostos a praticar a bajulação em baixíssimo nível...

 

O clima de tensão ficou agitado, porque o vereador Paulo Henrique fez uma denúncia, informando que determinados veículos públicos poderiam ter sido usados indevidamente para carregar rejeitos de pavimentação asfáltica que teriam sido depositados em um local de propriedade do prefeito de Cacoal. O fato de haver uma denúncia não significa, porém, que o vereador tenha condenado o prefeito ou qualquer outro agente público. Não! Claro que não! Fazer denúncias é algo que faz parte da rotina de uma Casa Legislativa. Isso, entretanto, não implica culpabilidade de uma pessoa, sem que haja a devida apuração dos fatos. A Câmara de Cacoal tem o dever de apurar os fatos. Todos os vereadores fizeram juramento para exercer o mandato. Não dá para aceitar que os vereadores queiram somente receber os salários, diárias e outros brindes, sem exercer o mandato. A denúncia existe e não se apura denúncia fazendo cultos religiosos na tribuna da Câmara Municipal. A legislação brasileira define claramente quais são os procedimentos. A postura de vários vereadores foi vexatória!!

 

A Câmara de Cacoal deveria tomar vergonha na cara a assumir suas atribuições. E qual conduta os vereadores deveriam adotar? Deveriam abrir imediatamente uma Comissão Especial de Inquérito para apurar os fatos denunciados. Essa decisão de subir à tribuna para bajular o prefeito, sem ter feito nenhuma apuração, é vergonhosa. Para abrir uma comissão e apurar os fatos, é necessário apenas que haja um documento assinado por pelo menos 1/3 dos vereadores; que haja um fato determinado e um tempo limitado de funcionamento, conforme está previsto no Art.58 da Constituição Federal. Não existe nenhuma necessidade para os vereadores controlados pelo prefeito terem chilique durante a sessão. Abra-se a comissão, apurem-se os fatos e faça-se um relatório. Se não houver crime, não há punição. É uma coisa tão simples!! Esses vereadores cabeças de bagres que recebem salários apenas para puxar saco do prefeito em troca de cargos e outras benesses certamente não se lembram de várias denúncias completamente vazias que foram feitas pelo vereador Adailton Fúria, quando ele exercia mandato, inclusive a histórias das azeitonas. Quando Fúria fez a denúncia sobre as azeitonas, houve uma apuração e ficou constatado que era tudo fofoca. Por que não pode haver denúncias agora? Por que não pode abrir comissões agora? Os vereadores que têm como função principal bajular o prefeito deveriam gastar todos os recursos de diárias que recebem nas viagens de turismo para comprar óleo de peroba...

Durante a sessão desta segunda-feira, um dos bajuladores do prefeito declarou que esteve na Secretaria de Obras para conversar com servidores e que os servidores estão passando mal por causa das denúncias. Além de muito incompetente, esse vereador é um fofoqueiro. Não existe nenhuma denúncia dizendo que motoristas da prefeitura cometeram crime. Culpar motoristas por alguma conduta criminosa não faz o menor sentido. Na denúncia feita pelo vereador Paulo Henrique, nenhum servidor foi acusado de nada.  Não existe nenhuma razão para nenhum servidor passar mal. Se o servidor afirma que não cometeu nenhum crime, não há razão para ficar deprimido. Se não deve nada, não há nenhuma necessidade de ter medo de nada!! Esse grupo de vereadores que puxa saco do prefeito é constituído por fofoqueiros muito desqualificados. É dever da Casa de Leis investigar denúncias! Alguns vereadores fizeram discursos inflamados, como se o criminoso fosse o denunciante. É muita cara de pau!!! Os vereadores que discursaram dizendo que vão esperar a justiça ou a polícia investigar os fatos são muito caras de pau. A Câmara de Cacoal tem o dever de investigar fatos e os vereadores recebem salários para isso. Os vereadores que declaram ser “base” do prefeito são muito covardes, porque foram eleitos para serem da base da população...

 

É curioso o esforço que muitos vereadores fazem para dizer que a Casa de Leis não é um puxadinho da prefeitura. Com certeza, não é mesmo! Era puxadinho nos primeiros meses de mandato. Agora, existem vários vereadores que atuam como jagunços da prefeitura. As características de puxadinho ficaram no passado. Como contribuinte de Cacoal, eu prefiro aquela Casa de Leis que usava diárias para custear cirurgias anais, porque essa que foi eleita para trabalhar como jagunços é repugnante. Obviamente que há pelo menos três exceções e nem todos os vereadores são da ala de jagunços. Caso a Câmara de Cacoal não abra nenhuma comissão para apurar os fatos denunciados, todos os 12 vereadores estarão prevaricando e não somente a jagunçada. Aliás, a jagunçada serve apenas para fazer farras de diárias... Tenho dito!!!!