TRETAS POLÍTICAS

VEREADOR KAPICHE QUER FISCALIZAÇÃO INTENSA DE TRANSITO EM CACOAL

SECRETÁRIO DIZ A VEREADOR QUE MUNICÍPIO NÃO TEM DINHEIRO PARA FISCALIZAR

10/10/2021 03h59Atualizado há 1 semana
Por: REDAÇÃO

O fato de o prefeito ter sido eleito sem plano algum de governo, somado a imperícia administrativa demonstrada até agora por Adailton Fúria, deixa os vereadores  com as pautas midiáticas sensivelmente reduzidas.

Uma indicação aqui, um ofício ali, uma fotografia acolá, e assim vão os vereadores se esforçando por se fazerem presentes na vida municipal, sem originalidade ou conduta pró ativa no exercício da legislatura.

Para quem não tem independência, e não compreende suas funções, tudo o que pode ser feito é dar uma "usurpadinha" nas funções do executivo através de súplicas e indicações. É como se cada vereador de situação, fosse um pretenso prefeitinho, que com seu mandato, tentasse resolver algum problema, ainda que  com as forças do executivo e não com o exercício de suas funções precípuas.

No início da tarde deste sábado, dia 09/10/2021, o vereador Edimar Kapiche, que por sinal é muito ativo nas redes sociais, teve uma dessas grandes ideias que dependem da ação do poder executivo.

Não se sabe porque cargas d'água, o vigilante Kapiche botou na cabeça que Cacoal necessita urgentemente de intensa e permanente fiscalização de trânsito, dia e noite, todos os dias, e também em fins de semana e feriados.

O Vereador parece ter sentido falta de multas e fiscalizações de trânsito nos fins de semana e decidiu comparecer em um dos grupos de WhatsApp da cidade para pressionar as autoridades municipais a providenciar o aumento das operações de trânsito no município.

Ao tomar ciência dos pleitos do vereador, um secretário do município, da pasta de meio ambiente (Sandro), lascou um tijolaço no nobre edil dizendo: "dinheiro não cai do céu nem brota em árvore”, em referência a uma possível indicação do vereador para que se pagassem horas extras para agentes de trânsito do município para que  aumentassem as fiscalizações ostensivas destes profissionais, também em feriados e fins de semana.

O vereador se defendeu dizendo ter lido uma matéria jornalística do ESTADO DE RONDÔNIA que informava que desembargadores do Tribunal de Justiça de Rondônia estariam recebendo 300 mil reais de salário, enquanto o município de Cacoal acha caro pagar agentes de trânsito.

Eu nem iria tão longe, visto que se fiscalização é o que o Kapiche quer, as multas aplicadas durante os períodos de trabalho extraordinário pelos fiscais gerariam receita suficiente para pagar a jornada extra e ainda sobraria para um gordo abono de fim de ano. O que causa estranheza é o vereador querer comprar uma ideia tão impopular e ter coragem de apresenta-la nas redes sociais.

Tá bem que não tá fácil ser vereador sem desagradar o prefeito, mas construir plataforma sugerindo mais fiscalização e mais multas para população é o fim da perspicácia política.

Melhor seria que Kapiche  implorasse ao chefinho que aumentasse o número de vagas de estacionamento no centro da cidade ( já que Cacoal só fiscaliza estacionamento em local proibido mesmo), ou o aumento de semáforos, ou a instalação de quebra molas nos cruzamentos. Nenhuma tolice é maior que vereador ir as redes sociais pedindo intensificação de fiscalização de trânsito.

E o problema político ai nem é o dinheiro público eventualmente envolvido, mas o dinheiro dos contribuintes eventualmente multados a partir dessa ideia genial do Kapiche. 

Kapiche não pensou. Talvez nem pense. Mas eu pensei nas razões pelas quais ele teve essa ideia e cheguei a seguinte conclusão:

Kapiche é vigilante de profissão, e como todo, ou quase todo vigilante, tem um desejo latente de exercer autoridade persecutória. Sonha em ser policial. Com arma, distintivo e missão. Daí a escolha da pauta "fiscalização de Trânsito", já que os servidores municipais que mais se aproximam do que seria um policial são os marronzinhos da SEMTRAN.

Não se esqueçam de que o vereador Edimar Kapiche tem como bandeira de campanha a instalação da guarda civil no município de Cacoal, cuja minuta do projeto já foi  enviada  ao executivo.

Apesar de estar inflamando a muitos egos milicianos com a promessa de uma carreira de "Polícia Municipal", o vereador sabe que a criação da guarda municipal é um sonho distante tanto pela inviabilidade financeira quanto pela desaprovação popular, afinal, quanto mais guardinhas na rua, mais multas, desentendimentos e problemas com a população de Cacoal Vegas. 

Se Kapiche gostasse de fiscalizar o executivo como gosta de fiscalizar o povo de Cacoal ele já seria o pré-candidato a deputado favorito para as eleições de 2022.