IN VINO VÉRITAS

O VINHO E A ENXAQUECA - COMO OS BRASILEIROS SÃO ENGANADOS NO CONSUMO DE VINHOS

UVA BORDÔ É UMA FARSA DA INDÚSTRIA BRASILEIRA

10/10/2021 14h55Atualizado há 1 semana
Por: REDAÇÃO

Por Lúcio Lacerda

 

De uns anos para cá, as prateleiras dos supermercados se encheram de rótulos de vinhos nacionais baratos que indicam a tal da uva “Bordô”.

“Bordô suave”, “Bordô seco”, Bordô reserva especial”, são algumas das referências contidas nos rótulos desses vinhos que circulam no comércio brasileiro com a pretensão de se fazerem acreditados como fermentados de qualidade. Só que não.

Em primeiro lugar, a uva “Bordô” não existe em lugar nenhum do planeta. Na verdade, a palavra “Bordô”, é uma corruptela da palavra “Bordeaux”, que dá nome a uma região da França, onde se produzem alguns dos melhores vinhos do mundo. Mas nenhum deles, de uva chamada “Bordô”.

Agora que você já sabe que “Bordeaux” é uma região e não uma uva, cabe explicar o que vem a ser a tal uva chamada pelos fabricantes brasileiros de “Bordô”.

A uvinha que vem sendo chamada de “bordô” é na verdade uma uva norte americana, cujo nome verdadeiro é “Vitis Labrusca”, que é uma das uvas mais populares do continente,  é recomendada para consumo in natura e para sucos, e nunca para vinhos.

Isto porque a uva Vitis Labrusca, tem um sabor ácido e desagradável após a fermentação, além de não obter satisfatório teor alcoolico após processo.

Repare que enquanto um vinho feito de uma uva nobre como “Cabernet Savignon”, Carmenere ou “Merlot” possue um teor alcoolico entre 12,5 e 13,5 volumes, os que indicam em seus rótulo a uva “Bordô” não passam de 10 graus alcoólicos.

Os vinhos feitos de uvas Vitis Labrusca, que é inadequada para fermentação, além de terem um sabor ácido e desagradável, causam com frequência ressacas e dor de cabeça.

Se você quer umas dicas para comprar vinho para as comemorações das festas de fim de ano, lá vão algumas:

1-    Não compre vinhos que indiquem uva “bordô”. Eles não prestam.

2-    Evite comprar vinhos suaves. Eles sofrem adição de açúcar e por isso estão adulterados. ( Se seu paladar não estiver adaptado aos vinhos secos, dê preferência aos Demi-secos)

3-    Na dúvida, escolha vinhos feitos com tradicionais uvas viníferas:

 

a)     Cabernet Savignon

b)    Carmenere

c)     Merlot

d)    Tannat

e)     Pinot Noir

f)      Shiraz

g)     Turiga, Castelão e portuguesas em geral

h)    Malbec

 

Você nao precisa comprar vinhos caros para se deleitar com o néctar da dos deuses, mas não existem vinhos de qualidade minimamente aceitável por menos de 30 ou 40 reais.

 Há ainda o vinho tipo “assemblange” que é feito com a mistura de duas ou mais das uvas acima indicadas, que muitas vezes pode ser uma ótima opção.

Por fim, esses vinhos vendidos no Brasil com a indicação de uva Bordô, embora não tenham qualidade para concorrer no mercado como bebida, podem ter providencial utilidade na culinária, para o preparo de pratos que levem vinho de mesa.

Seguem abaixo algumas marcas de vinho nacionais populares, de baixo custo, mas com qualidade bem razoável:

 

1-    Almaden

2-    Marcus James

3-    Aurora

4-    Miolo

5-    Salton

 

Se você entrar mesmo na vibe dos vinhos, pode se inscrever em um dos vários clubes de vinho na internet, e adquirir de tempos em tempos,  lotes de vinhos de ótima qualidade com preços que variam entre 29 e 100 reais, através de encomendas pela web.

Espero ter ajudado você a escapar do engodo dos vinhos “Bordô” vendidos no Brasil.

In vino Veritas – No vinho está a verdade. Que Dionísio te abençoe.