LACERDA ADVOCACIA
SAÚDE PÚBLICA

HEMODIÁLISE CACOAL : NOVOS DOCUMENTOS PROVAM MAIS CONTAMINAÇÕES

DOIS LAUDOS COMPROVAM QUE CONTAMINAÇÕES SÃO CONSTATADAS NA HEMODIÁLISE DESDE O MÊS DE ABRIL DE 2021

20/10/2021 16h36Atualizado há 1 mês
Por: REDAÇÃO

O Portal Estado de Rondônia publicou em 13 de outubro de 2021, matéria informando a ocorrência de contaminação da água usada no tratamento dos pacientes da hemodiálise, através de um laudo emitido por um conceituado laboratório situado em Cuiabá, Mato Grosso, para onde são encaminhadas mensalmente amostras de água das máquinas da hemodiálise, para a realização de exames periódicos determinados por lei. (clique aqui para ler)

Em julho deste ano o Portal Estado de Rondônia publicou uma matéria que informava que as médicas responsáveis clínicas pelos pacientes da hemodiálise,  já haviam denunciado ao Ministério Público uma situação que previa a possibilidade de contaminações e riscos aos pacientes. (clique aqui para ler)

Na data de ontem ( 19/10) a administração pública fez com que circulasse na cidade um outro laudo, produzido pela  mesma empresa que costumeiramente faz as análises das amostras da hemodiálise, alegando ser ele a contraprova que contradiz o resultado daquele que havia constatado contaminação.

Porém, o segundo laudo, chamado de contraprova, que chegou a ser exibido em um programa de TV da cidade, na verdade, indicava o dia 16/09/2021 como a data de coleta do material, enquanto que o laudo que certificava a contaminação da água da clínica analisou amostras coletadas em 26/08, mais de 20 dias antes das amostras analisadas na suposta contraprova.

O QUE É CONTRAPROVA

A contraprova é uma amostra que é coletada ao mesmo tempo da principal, que é armazenada em separado, para que seja feita uma nova análise em caso de dúvida quanto ao resultado do exame.

Isso significa que no momento em que se colhe a amostra de água a ser examinada, reserva-se uma parte do material coletado, e coloca-se em um outro recipiente, para ser aberto e analisado somente se houver dúvida ou questionamento sobre o resultado do laudo principal.

Desta forma, o material usado na contraprova tem que ser do mesmo dia, horário e fonte do material principal, não existindo contraprova com material coletado em outro dia.

Portanto, o exame apresentado pela prefeitura  não é contraprova pois se refere a coleta de material feita quase um mês após a contaminação.

NOVAS CONTAMINAÇÕES

O Portal Estado de Rondônia teve acesso a 2 outros laudos de contaminação emitidos pelo laboratório Analytical Química e Engenharia, anteriores àquele publicado no ultimo dia 13.

Os Relatórios de Ensaios  de Protocolos  21.1694 e 21.1977, o primeiro referente a análise da água utilizada no mês de abril de 2021, e outro referente a água utilizada no mês de maio na clínica de hemodiálise de Cacoal ( em 14 e -24 de maio),  apontaram níveis de contaminação bacteriana muitíssimo maior que o último laudo divulgado pelo Estado de Rondônia.

LIMITES MÁXIMOS DE BACTÉRIAS SEGUNDO A RDC 11/2014 ( Norma da Anvisa)

 

   Para que a água esteja dentro de um nível de segurança para o atendimento de pacientes na hemodiálise, os valores devem ser  igual ou inferior a:

1,0 x 10° =  Ausência de colônias

 

Em regra, os Resultados que ultrapassem este valor indicam a existência de colônias de bactérias em franca multiplicação.

 

QUAIS OS VALORES APARECERAM NO RESULTADO DO ÚLTIMO EXAME TORNADO PÚBLICO NO DIA 13 DE OUTUBRO?

 

As tres amostras contaminadas do último exame indicavam os seguintes valores:

 

Amostra 4686: 1,2 x 10² ( valor de referência: 1,0 x 10°)

Amostra 4687: 1,8 x 10² ( valor de referência: 1,0 x 10°)

Amostra 4689: 1,4 x 10² ( valor de referência: 1,0 x 10°)

 

A ausência de colônia bacterianas só pode ser afirmado se os valores dos resultados forem àqueles de referência, e a partir deles há presença de bactérias que se organizam de uma a 9 colônias bacterianas na água analisada.

 

QUAIS OS VALORES APARECERAM NOS RESULTADOS DOS DOIS EXAMES EMITIDOS NO MÊS DE ABRIL E MAIO DE 2021?

 

As seis amostras contaminadas nos dois exames realizados em maio indicavam os seguintes valores:

EXAME DE PROTOCOLO Protocolo 21.1694, referente a água utilizada no mês de abril,  emitido em 14 de maio de 2021:

 

Amostra 2175: 3,9 x 10²  (valor de referência: 1,0 x 10°)

Amostra 2176: 3,0 x 10² ( valor de referência: 1,0 x 10°)

Amostra 2177: 6,6 x 10² ( valor de referência: 1,0 x 10°)

Amostra 2178:   2,7 x 10² ( valor de referência: 1,0 x 10°)

 

 

 

 

 

 

EXAME DE PROTOCOLO Protocolo 21.1977 referente a água utilizada no mês de maio e emitido em 24 de maio de 2021:

 

Amostra 2598: 4,5 x 10²  (valor de referência: 1,0 x 10°)

Amostra 2599: 3,8 x 10² ( valor de referência: 1,0 x 10°)

 

Os resultados dos exames de maio chegam a atingir mais de 6 vezes os valores de referência e conter quatro vezes mais contaminação que o último exame trazido a público pelo Estado de Rondônia.

Seguem abaixo os laudos de análise emitidos no mês de maio pelo laboratório.