LACERDA ADVOCACIA
SAÚDE PÚBLICA

BACTÉRIAS ASSASSINAS NA HEMODIÁLISE – EXAMES EM PACIENTES REVELAM PRESENÇA DE SUPERBACTÉRIAS NA HEMODIÁLISE DE CACOAL

ATUALMENTE HÁ 13 PACIENTES NA CLÍNICA COM SUSPEITA DE INFECÇÃO E SINTOMAS DE FEBRES E CALAFRIOS

27/10/2021 18h22Atualizado há 1 mês
Por: REDAÇÃO

Depois das publicações do Portal Estado de Rondônia revelando a ocorrência de contaminação da água da hemodiálise de Cacoal, o Ministério Público do Estado de Rondônia abriu inquérito para apurar se eventuais mortes ocorridas em número muito superior ao mesmo periodo do ano passado está relacionada a estas contaminações ocorridas em abril, maio e agosto de 2021.

As matérias relacionadas a estas denúncias você pode rever clicando aqui, aqui, aqui,  aqui e aqui também.

 

O E.R. teve acesso a exames de hemocultura coletados pelos profissionais da clínica de hemodiálise e analisados por um dos maiores laboratórios de análises clínicas do Brasil, o Instituto Hermes Pardini de Minas Gerais.

Os exames, que só são realizados por solicitação médica, quando os pacientes apresentam sintomas de infecção, são referentes aos períodos imediatamente posteriores aos laudos de contaminação emitidos em maio e setembro deste ano.

Todos os exames revelaram a presença de bactérias nos pacientes examinados e duas superbactérias em especial chamam a atenção.

Tratam-se das bactérias Staphylococcus aureus e Stenotrophomonas maltophilia, ambas letais podendo levar a morte do paciente.

A bactéria Staphylococcus aureus pode provocar infecções leves e simples de serem tratadas ou infecções mais graves, sendo as principais:

 

Foliculite, que é caracterizada pela presença de pequenas bolhas com pus e vermelhidão na pele provocada pela proliferação de bactérias no local;

Celulite infecciosa, em que o S. aureus consegue penetrar a camada mais profunda da pele, causando dor, inchaço e vermelhidão intensa da pele;

Septicemia, ou choque séptico, corresponde a uma infecção generalizada caracterizada pela presença da bactéria na corrente sanguínea, podendo atingir diversos órgãos.

Endocardite, que é uma doença que acomete as válvulas cardíacas devido à presença da bactéria no coração. Saiba mais sobre a endocardite bacteriana;

Osteomielite, que é a infecção do osso causada por bactérias e que pode acontecer por contaminação direta do osso por meio de um corte profundo, fratura ou implante de uma prótese, por exemplo;

Pneumonia, que é uma doença respiratória que leva à dificuldade para respirar e pode ser causada pelo acometimento do pulmão por bactérias;

Síndrome do choque tóxico ou síndrome da pele escaldada, que é uma doença de pele causada pela produção de toxinas pelo Staphylococcus aureus, provocando a descamação da pele;

 

No contexto da hemodiálise, considerando que a água eventualmente contaminada  utilizada no tratamento percorre a corrente sanguínea do paciente,  essa bactéria pode se manifestar nas suas formas mais graves podendo levar o paciente a morte.

A bactéria Stenotrophomonas maltophilia é um organismo propriamente aquático pode ser encontrada em uma grande variedade de ambientes e regiões geográficas, ocupando nichos ecológicos distintos e fontes múltiplas de água tais como rios, poços, lagos de reservatórios municipais e até água utilizada na indústria farmacêutica. Outras fontes de isolamento incluem o solo, detritos, leite cru, peixe congelado, ovos e carcaça de animais.

No ambiente hospitalar, essa espécie já foi isolada de água de torneira, pias, respiradores, cateteres de sucção, monitores de pressão arterial  e  equipamento de diálise.

Stenotrophomonas maltophilia é uma bactéria resistente a vários antibióticos. Ao longo dos últimos 10 anos essa bactéria tem sido cada vez mais encontrada nos pulmões de pessoas com fibrose cística.  

 Seguem abaixo alguns resultados de exames de hemocultura entra pacientes da hemodiálise de Cacoal. Os nomes dos pacientes foram propositalmente omitidos a fim de se preservar suas identidades e privacidade.