LACERDA ADVOCACIA 2
OIO
Opinião

A PUBERDADE DE ADAILTON FÚRIA E O ESTALO DE VIEIRA

Por Lúcio Lacerda

29/11/2021 08h48Atualizado há 2 meses
Por: REDAÇÃO

Pressionado pelas redes sociais e pela apreensão da sociedade quanto ao aumento de casos de Covid 19 nos últimos dias, o Prefeito Adailton Fúria fez uma live neste domingo (29/11) onde voltou a anunciar o Show de Gusttavo Lima na cidade, e a exaltar a decoração natalina  e o trenó do Papai Noel, que improvisou com sucatas de kombis do município.

No meio da groselha de sempre, algo novo surgiu no discurso do jovem prefeito. Alguns lampejos de lucidez puderam ser vistos em alguns momentos da live.

A puberdade do ser político pôde ser percebida quando o prefeito declarou aceitar as críticas, defendendo-se todavia, se comparando a Jesus Cristo, que assim como ele, não agradou a todos, e depois, quando afirmou que essas críticas que surgiram nas redes sociais o inspiraram a adotar uma política mais efetiva e intensa de imunização em massa.

O discurso da live do prefeito tem vários problemas propositivos, mas é inegável que, pela primeira vez, ele levou em consideração crítica a seu governo, e os dados, que mesmo que tenha tentado manipula-los, foram de alguma forma objeto de pronunciamento.

Após a programação da Exponorte, Cacoal viu uma verdadeira explosão de casos de Covid 19, com cerca de 500 casos confirmados no mês  de novembro, com 5 óbitos no periodo, o que faz presumir que a aglomeração de pessoas neste evento, que terminou em 1 de novembro, tenha sido a responsável pela contaminação massiva desde então.

Além disso o radar epidemiológico do Estado já reconheceu que Cacoal e Ariquemes são as cidades em que os casos de Covid mais cresceram em novembro, atingindo, só no ultimo mês,  percentuais superiores a 3% do total dos casos registrados desde o início da pandemia ( mais de 15 mil em Cacoal).

A Fiocruz publicou no ultimo dia 25 de novembro, que um estudo interno da fundação confirmou que a variante Delta é predominante no interior do Estado de Rondônia e isso pode neutralizar parte do resultado da imunização realizada até agora.

Mesmo diante desses dados, o prefeito manteve comemorações de aniversário da cidade com eventos em praça pública,  disseminou a ideia de que as pessoas não são obrigadas a usar máscara em Cacoal e manteve o empréstimo do Espaço Beira Rio para a realização do show privado do cantor Gusttavo Lima.

Os valores dos ingressos para este evento vão  de R$ 300 a R$ 20 mil reais, e a expectativa é a de que dezenas de milhares de pessoas, de várias cidades de Rondônia e de outros estados,  estejam reunidas em uma mega aglomeração no dia 2 de dezembro deste ano, o que certamente irá agravar o quadro de evolução da doença em Cacoal.

Os boletins da Agevisa que registram o aumento vertiginoso dos casos de Covid 19 em Cacoal, possivelmente ainda relatam as estatísticas advindas do evento da Exponorte, ocorrido entre 27/10 a 1/11, e nas próximas semanas, devem revelar o saldo do show de aniversário da cidade, e do evento Amigo e Viola que ocorreu no Cacoal Selva Park neste ultimo fim de semana.

Com o Mega Show de Gusttavo Lima em 2 de dezembro e as festividades de fim de ano, com encontros e reuniões particulares, é inevitável que a doença se alastre, sobretudo sobre os não imunizados, e o ciclo de contaminação destes eventos deve ir até fevereiro de 2022.

Para piorar, a cepa ômicron que surgiu na África do Sul pode chegar rapidamente ao Brasil e lançar ainda mais incerteza sobre o enfrentamento da doença no país.

A intensa imunização massiva proposta pelo prefeito em sua live de ontem não tem condições de frear a contaminação por dois motivos. O primeiro é que em geral a imunização só começa a ser obtida pelo menos 2 semanas após a vacinação, e o segundo é que a pessoa que estiver com Covid não deve se vacinar enquanto não se recuperar.

Desta forma, mesmo que se faça o maior esforço para a vacinação massiva em Cacoal neste fim de ano, não será possível evitar as contaminações que se relacionem com os eventos de novembro e dezembro.

Em todo caso, só o fato de o prefeito ter incluído no seu rol de prioridade a questão da imunização, com alguma seriedade, já é um avanço.

Vendo aparecerem os primeiros fios de bigode no jovem alcaide eu tendo a querer admoestar sobre esses tempos de pandemia. Se eu pudesse aconselhá-lo sobre epidemias, primeiro informaria a ele que o planeta tinha metade dos habitantes que tem hoje nos anos 70, e não obstante, já havia causado a maior parte dos danos ao meio ambiente, comprometendo a camada de ozônio, extinguindo milhares de espécies e impondo sofrimento a outras, inclusive a sua própria.

Tentaria desenhar, muito didaticamente ao jovem mancebo, que com o atual desenvolvimento tecnológico e industrial, o planeta não aguentará muito mais tempo se a humanidade continuar a se reproduzir tão rapidamente e a intervir no ambiente com a voracidade com que tem feito até agora, e por essa razão, a própria natureza cuidará de exercer o controle populacional dos seres humanos, como faz inflacionariamente com diversas outras espécies.

Normalmente o controle de uma espécie é delegado a outra espécie, e sempre tem um bicho maior, ou menor, como é o caso dos microrganismos letais como o corona vírus, sempre prontos para atender ao chamado da natureza e com ela cooperar.

Neste contexto de expurgo natural não existe outra saída para a espécie senão evoluir, se tornar mais apta ao enfrentamento de seu algoz, e isso pode ser feito de duas maneiras.

Ou desenvolvemos meios de proteção e controle das pandemias que ainda irão surgir aos montes, dado que a superpopulação humana colocou o planeta em estado de alerta, ou sofremos uma mutação que nos torne inviáveis a estes hóspedes assassinos, como ocorreu na África pré histórica quando uma certa anemia, hoje chamada de falciforme, era uma grande diferencial de sobrevivência frente a um protozoário implacável, causador da malária.

É preciso que se entenda e que se faça a distinção de grandeza entre as pautas de governo. Ninguém nega que o entretenimento, as luzes de natal e a urbanização da cidade sejam coisas de muita importância para a municipalidade. Todavia, quando se lida com questões de saúde e de riscos da envergadura de uma pandemia mundial, como é o caso da Covid 19, não se pode nem por um instante sequer, ceder a tentação de dirigir esforços políticos em direção ao diversionismo popular, se o preço for o descuro de cautelas sanitárias impreteríveis, de observância  obrigatória a todo administrador público e liderança comunitária.

Acredito que o Prefeito avançou neste domingo e eu não vejo razão para que ele não compreenda que, nestes tempos,  grupos humanos mal liderados sucumbirão aos desafios do futuro, que vão desde a ocupação das pessoas, até a mudança do clima e o surgimento de pestes e diversas doenças que os novos hábitos de vida e consumo haverão de produzir.

Mas eu confio em você prefeito. Afinal, você foi chamado a corrida da vida por um motivo. Era o espermatozoide mais esperto. Continue se esforçando pois eu sinto que você está passando pelo "Estalo de Vieira". E tudo isso graças a reflexão, que decorre inteiramente do incomodo provocado pelo pensamento opositor.