PARABÉNS RONDÔNIA

AS 39 CHIBATADAS DE RONDÔNIA

ESTADO COMPLETA 39 ANOS NESTE DIA 04 DE JANEIRO

04/01/2021 17h21Atualizado há 5 meses
Por: REDAÇÃO

 

Por Lúcio Lacerda

 

Immanuel Kant, que sabe-se agora, era autista, tinha hábitos e rotina mui rigorosos. Tanto que as senhoras da sua vizinhança orientavam o seu tempo de acordo com esse relógio vivo que era Kant.

Quando Kant passava, sabiam-se que horas eram, porque ele sempre passava, todos os dias, nos mesmos lugares, no mesmo horário.

O homem que ensinou a ciência dos conceitos e desenvolveu as críticas das razões, pura e prática, deixando imenso legado para humanidade, embora fosse o menos cosmopolita dos pensadores de sua época, estando sempre enclausurado em uma pequena e remota cidadezinha de província prussiana no norte alemão, é considerado hoje um dos maiores pensadores da humanidade.

Não obstante a este ocultamento histórico, a morte de Kant, foi como um sol nascente crepuscular que, conquanto deixe o céu alaranjado concorrente com o breu noturno em seu primeiro momento, horas depois rasga, do véu negro da noite a escuridão e ilumina e eleva a temperatura de todo o planeta nos instantes seguintes.

Há duas coisas que muito me impressionam e causam admiração, quais sejam , o céu estrelado acima de mim, e a lei moral dentro de mim”, dizia o filósofo, até hoje muito incompreendido, mesmo que várias universidades, como a Universidade Federal de Minas Gerais ostentem portentosos monumentos em sua homenagem em seus campi.

Entre todas as incompreensões de Kant, uma em particular se destaca. Por qualquer razão que não se revela automaticamente, Kant acreditava que nenhuma pessoa poderia encontrar o verdadeiro rumo e sentido da vida antes dos 39 anos de idade.

De fato, a sua própria biografia revela que ele próprio não se tornara um professor catedrático apto a influenciar o mundo antes disso.

Em todo caso, diante desta curiosidade perturbadora, ao pesquisar sobre essa estranha opinião do mestre Immanuel, descobri que 39, embora não seja múltiplo de nenhum número inteiro, era, e é até hoje, o número de chicotadas que um escravo ou prisioneiro podem receber de seus carrascos, em certas condições de açoite,  sem entrarem em falência múltipla de seus órgãos.

Na Bíblia, fonte primária do pensamento do filósofo, a Lei de Moisés determinava:

“Se o culpado merecer açoites, o juiz o fará deitar-se e o fará açoitar, na sua presença, com o número de açoites segundo a sua culpa. Quarenta açoites lhe fará dar, não mais; para que, porventura, se lhe fizer dar mais do que estes, teu irmão não fique aviltado aos teus olhos” (Deuteronômio 25:2-3).  

 

São Paulo, cuja biografia e cartas acredito terem sido a origem das reflexões extraordinárias de Kant disse em uma de suas epístolas:

“Cinco vezes recebi dos judeus uma quarentena de açoites menos um” (2 Coríntios 11:24).

 

A tradição judaica das 39 chibatadas foi utilizada como limite de tortura nos séculos que se seguiram a Jesus Cristo, que segundo a interpretação teológica de notáveis escribas, teria sido também neste número, sendo considerada esta, uma margem de segurança tanto para evitar a ira do Senhor, quanto para proteção do patrimônio, naquilo que se refere a sobrevivência da res escrava, após o castigo.

Gosto de pensar que, se todo o que pratica o pecado é escravo do pecado, é razoável conclusão metafísica de que todos nós estejamos sujeitos a chibatadas, posto que todos escravos de alguma forma, mediata ou imediata.

E se 39 é o número máximo de chibatadas que um escravo ou prisioneiro pode levar como punição, sem grave  risco de sua vida,  penso que Kant se referia aos anos de sofrimento e aprendizado que uma pessoa tem que galgar até se tornar um adulto de fato, já que é certo que se a vida começa aos 40, como diz a sabedoria popular, isso deve ter suas razões ocultas na experiência.

“ Os anos e as décadas sabem coisas que os dias desconhecem”, diria Ralph Waldo Emerson.

Reconheço todavia, que essa conjectura sobre os 39 anos preparatórios aludidos por Kant, não possui validade científica para se afirmar qualquer coisa sobre isso, pois que simples analogia desprovida de outros elementos científicos que evidenciem que os 39 anos da idade humana representem faixas de passagem ou período de transição relevante no desenvolvimento da entidade humana, não autorizam, racionalmente, que se afirme isso ( embora kant o tenha afirmado).

Mas como a vida é feita de esperança, e a esperança, diferente do prognóstico, é só uma expectativa de bom futuro que não se submete ou se associa a nenhuma linha causal observável, mas é somente um fenômeno da fé pura e simples, eu quero crer que estes 39 anos de instalação do Estado de Rondônia venha a encerrar todo o sofrimento que significou a sua ocupação, e inaugurar a sua ascensão ao grau de unidade federativa iniciada e civilizada.

A história recente nos dá pistas de que isso está ocorrendo. Rondônia tem se livrado dos agentes políticos que costumeiramente usam o Estado como instrumento de alcance de metas pessoais, resolve-se cada vez menos coisas na bala, o judiciário está a cada dia mais alinhado com a orientação da doutrina e da jurisprudência nacional, embora sempre existam as velhas raposas que não admitem perder o poder pessoal em benefício do bem comum.

Os atoleiros são cada vez mais raros, não falta comida nas mesas, e a tecnologia sempre se desenvolve por aqui.

90% do território de Rondônia é servido por internet por fibra ótica, e apesar das instabilidades e má prestação de serviços, o mercado se encarrega de tirar da praça os que não servem adequadamente os seus clientes.

2021 surge num contexto em que o coração do rondoniense anseia por tempos melhores, e que venham rápido, e que possam todos assistir, e nesse momento, o Estado completa seus 39 anos de fundação, presságio que anuncia que os tempos de dificuldade e chibatadas acabaram, anunciando auspicioso futuro e nova etapa qualificada de sua história.

Se a vida começa aos 40, estamos entrando no 40º ano de vida deste Estado, que sem sombra de dúvidas, muito a merece.

Parabéns povo rondoniense, tanto pioneiros quanto os que assim se sentem de coração, pelos 39 anos de existência formal da terra de Rondon, o nosso patrono das comunicações.

Avante, pra frente é que se anda.